Testemunhos e partilha de experiências F1 in Schools

georgeGEORGE OLIVEIRA | SURGE

O F1 in Schools mudou a tua vida?

Sem dúvida que sim. O F1 in Schools é um projeto excelente para estimular a mente dos jovens. Penso que o F1 in Schools me vai sem dúvida alguma ajudar a ter um futuro melhor, pois preparou-me para enfrentar desafios e ensinou-me a "pensar fora da caixa".

Aconselhas o projeto aos novos alunos?

Aconselho este projeto para aqueles que querem aprender a trabalhar em equipa e que gostam de se empenhar no que fazem. A chave do sucesso neste concurso é o trabalho em equipa, e ao aprender a fazê-lo desta forma divertida fica-se mais preparado para no futuro ingressar no mundo do trabalho e ter sucesso.


Qual a vantagem de um projeto como o F1 in Schools junto das escolas?

Este projeto é um bom complemento ao ambiente escolar já existente. Com a extinção da disciplina de Área de Projeto, deixou de existir uma forma tão direta de ensinar os alunos a criar ideias e a trabalhar em união e o F1 in Schools é, para mim, a forma ideal de colmatar esta falta no ensino.

Como foi participar na final mundial em 2013?

Simplesmente a melhor experiência da minha vida até à data. O convívio, as diferentes culturas, o desafio, a pressão, em suma toda a atmosfera envolvente do concurso é algo que me marcou para a vida e não irei esquecer essa experiência tão facilmente.

 

anaANA GRILO | FALCON TEAM

O F1 in Schools mudou a tua vida?

Sim, mudou porque fez-me crescer como pessoa e permitiu-me adquirir conhecimentos sobre o trabalho em equipa, contactos importantes com as empresas e isso fará uma diferença significativa no meu futuro. Participei neste projecto apenas por um ano porque o meu percurso escolar vai tomar outro rumo não me permitindo participar uma segunda vez. O esforço da minha equipa levou-nos à final mundial, no Texas. Como resultado de um trabalho árduo que passou por diferentes etapas, nas quais aprendemos muito.

Aconselhas o projeto aos novos alunos?

Este projecto é muito importante para se descobrir uma vocação. Neste projecto, cada elemento da equipa tem a sua função e as áreas de trabalho são diversas: engenharia, modelação 3D, design gráfico, comunicação / marketing. Eu, por exemplo, estudo Programação e com este projecto descobri que adoro fazer design gráfico, porque foi a minha função na Falcon Team, por isso sim, aconselho vivamente!

Qual a vantagem de um projeto como o F1 in Schools junto das escolas?

É muito vantajoso um projecto como este porque aprendemos a lidar com todo o tipo de pessoas bem como com as empresas. Normalmente, nas escolas, os alunos são preparados para o futuro principalmente com métodos teóricos. Os métodos práticos acabam por ser participar em projetos como este. O F1 in Schools foi um projeto muito enriquecedor para mim e penso que todas as escolas deviam apoiar os alunos que participam no maior projeto educativo do mundo.

Como foi participar na final mundial em 2013?

Participar na final mundial foi uma experiência fantástica que nunca irei esquecer porque é algo completamente diferente daquilo que faço no meu dia-a-dia. Foi uma semana muito agradável porque aprendi muito com esta competição ao conviver com equipas de todo o mundo, ao conhecer um novo país, novas culturas e contactar com equipas de Fórmula 1 reais. Por outro lado, quando nos tornamos campões nacionais ficamos radiantes porque foi muito compensador ver todo o trabalho que a equipa desenvolveu ser reconhecido como o melhor do país.



IMG 6910JOÃO GUEDES | OPORTO TEAM

O F1 in Schools mudou a tua vida?


O F1 in Schools mudou a minha vida na medida em que me fez crescer pessoalmente, abriu novos horizontes e permitiu-me travar contactos com pessoas incríveis, com quem actualmente continuo a falar e sei que posso confiar. É um projecto no qual eu só pude participar uma vez, devido à idade, então tinha de ser tudo ou nada, e o esforço foi muito, muitas horas e trabalho, mas que por fim, nos levaram a um final, em Singapura. Foi um processo evolutivo, em que passamos por diferentes etapas e em cada uma íamos aprendendo, com as prestações dos outros e com os nossos erros, e por fim toda essa aprendizagem deu em algo muito bem desenvolvido, que nos permitiu vencer a final nacional e rumar à final mundial.

Aconselhas o projeto aos novos alunos?

É claro que aconselho o projecto aos novos alunos. Penso que é uma experiência muito boa quer a nível pessoal, quer a nível profissional. Permite-nos evoluir e crescer ao travar conhecimento com diferentes pessoas e, nas finais mundiais, com diferentes culturas.



Qual a vantagem de um projeto como o F1 in schools junto das escolas?

É imensamente vantajoso um projecto como este junto das escolas, pois é com projectos como este que aprendemos a trabalhar em grupo, a ser disciplinados e cumpridores com horários. Aprendemos também a lidar com todo o tipo de pessoas com as mais variadas personalidades, bem como empresas. Não podemos falhar neste projecto, todos os detalhes são importantes e, além disso, adquirimos conhecimentos em diferentes áreas, que passam desde a engenharia, pelo marketing, recursos humanos, e até ao design, vindo todos eles a complementarem-se.

Como foi participar na final mundial em 2010?

Foi uma experiência única. Nunca pensei em visitar Singapura de um momento para o outro estava lá graças à F1 in Schools. É claro que o trajecto teve altos e baixos, e foi preciso trabalhar muito, mas no final, valeu a pena. É óptimo estar em contacto com todo o tipo de culturas e pessoas, tal como referi em cima, numa competição saudável como esta. Aprendemos um pouco com todos, em todos os aspectos. Além disso, e para os amantes da Formula 1, como é o meu caso, ainda mais especial se torna pois estamos perto daqueles que são os nossos ídolos no desporto automóvel, e isso é uma experiência que não é fácil explicar em palavras.

 

PEDROPEDRO GOMES | THE LEGACY

O F1 in Schools mudou a tua vida?

Desde o primeiro dia que me apresentaram o projeto que tudo na minha vida mudou, fez-me sentir a necessidade de me empenhar e de me dedicar a algo como nunca me tinha dedicado, e desta forma ser quase que obrigado a prestar atenção às aulas de física e química e matemática, pois poderíamos estar a dar algo que pudesse ajudar na criação e no melhoramento do nosso carro.
Mas no fim do projeto ou seja em 2012 vi que aprendi a fazer coisas e desenvolvi outras capacidades que até à data desconhecia, aprendi o valor do trabalho em equipa, desenvolvi a capacidade de adaptação e ao mesmo tempo aprendemos a lidar com as empresas, o que hoje em dia é muito importante para se conseguir um trabalho ou qualquer tipo de apoio, também desenvolvemos a capacidade de falar inglês e de nos desenrascar-mos sempre que surge um obstáculo.

Qual a vantagem de um projeto como o F1 in schools junto das escolas?

Um projeto como o F1 nas escolas é tudo aquilo que os alunos precisam para descobrirem o gosto por alguma área envolvente do próprio projeto, sendo que o mesmo nos obriga a trabalhar com design, engenharia, secretariado, pintura, falar com as empresas, e dentro deste "pequeno e grande projeto" podem sair os próximos engenheiros ou os próximos designer's de Portugal, e isso é muito importante.

Como foi participar na final mundial em 2012?

Bem isso é fazer-me recordar de algo que jamais irei esquecer, é trazer-me lembranças de uma das melhores semanas da minha vida, e se calhar de algo que não voltarei a repetir infelizmente.
Mas participar na Final Mundial penso que é tudo aquilo que as equipas pretendem ao entrar neste projeto, pois está em causa muita coisa e uma delas é o reconhecimento pelo nosso trabalho e dedicação ao longo de um ou mais anos de trabalho, de horas dedicadas a estudos do carro, de pintura e de melhoramento, e chagar ao patamar finar é o culminar de todas essas horas e ter a oportunidade de sentir-mos que somos bons em alguma coisa ou que temos ali um talento escondido que conseguimos descobrir.
Recordo-me muito bem dessa semana, todas as paisagens bonitas de ABU Dhabi, o sorriso radiante de todos os participantes, o brilho nos olhos de todos ao vermos os ferraris a passar por nós e ao mesmo tempo o sentimento de alegria que rapidamente se atravessou em nós e nos fez sentir mesmo muito felizes.
Mas chegar à final também significa uma grande responsabilidade, pois sabemos que temos de dar o nosso melhor e que estamos ali para representar a nossa escola, mas principalmente o nosso País e isso é muito importante.
Se tenho a agradecer é ao Nelson e a toda a equipa do Citeve por um dia ter ido à Didáxis, e no meio de uma palastra chata sobre carros me ter apresentado o F1 in Schools, hoje digo que sou uma pessoa diferente e melhor e muito se deve a todos estes factores.
Obrigado a todos pelo apoio ao longo destes 3 anos de desafios e um dia quem sabe voltaremos a viajar rumo a uma nova final Mundial



PEDRO FERREIRAPEDRO FERREIRA | PIXEL MONSTER F1

O F1 in Schools mudou a tua vida?

Na minha opinião o F1 in schools muda a vida de todos os participantes, logicamente para melhor, é um projeto desafiador e com metas atraentes, a vida vai mudando à medida que se vai atingindo cada meta. Ainda hoje tento continuar ligado ao projecto, e algumas situações quotidianas continuam a ser solucionadas com aprendizagens do F1 in schools.

Aconselhas o projeto aos novos alunos?

Eu participei neste projecto durante 3 anos consecutivos, e essa persistência acaba por responder à pergunta. O que aconselho aos novos alunos é analisarem tudo o que é oferecido disfarçado de pedido no F1 in schools, inicialmente irá parecer que é solicitado demasiado trabalho, no término concluirão que apenas foi oferecido um caminho para ganharem experiência nas mais diversas áreas.

Qual a vantagem de um projeto como o F1 in schools junto das escolas?

As escolas estão projetadas para preparem os alunos por métodos maioritariamente teóricos, os conhecimentos práticos acabam por apenas ser conseguidos por projectos extra-curriculares que sempre foram honrados pela comunidade escolar. O F1 in schools é uma mais valia nesse aspecto pelas inúmeras áreas que abrange, tendo até conquistado o prestígio de maior projecto educativo a nível mundial.
E agora, já no ensino universitário, ainda valorizo mais a experiência que conquistei no projecto.

Como foi participar na final mundial em 2012?

Primeiramente foi a satisfação pela concretização de um objectivo de ser campeão nacional e poder representar Portugal no campeonato mundial onde estamos juntos dos melhores de todo o mundo, e também sermos um deles.
Especificamente em Abu Dhabi, foi uma experiência única que certamente nenhum dos presentes irá esquecer, como acontece sempre com as finais mundiais do F1 in schools.

Acaba por ser um misto de sensações agradáveis que tornam aquela semana única, o sentimento de estar a um passo da F1, a competição, a interação e a partilha de experiência e aprendizagem com toda a comunidade do F1 in schools que ainda hoje se mantém em contato.
É o sonho de todos os participantes, e que tanto eu, como a minha equipa, e todos os outros alunos campeões nacionais, já provaram que era possível, e que o prémio pelo esforço é de facto recompensador.



FacebookTwitterDiggGoogle BookmarksRedditTechnoratiLinkedinRSS Feed